Trans denuncia prefeito à polícia depois de ouvir que "não tem utilidade"

Por Redação em 07/08/2020 às 06:59:00

Thayla é nascida em Rio Verde de Mato Grosso e conta que é transsexual 24 anos (Foto: Arquivo pessoal)

A cabeleireira Thayla Almeida, transsexual moradora de Rio Verde de Mato Grosso, foi à polícia denunciar o prefeito Mário Alberto Kruger (PSC) por injúria depois de ouvi-lo dizer em programa de rádio que ela "não tem utilidade nenhuma". Thayla diz que vai processá-lo.

Tudo aconteceu no fim do mês passado, depois que a cabeleireira postou em rede social vídeo criticando a administração de Kruger por, em oito anos de mandato, não conseguir levar o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) para a cidade.

Consta no boletim de ocorrência, registrado no dia 27 de julho, que dias depois, no programa da rádio Alô Rio Verde, o prefeito fez comentários sobre o vídeo. Gravação foi enviada para a cabeleireira por conhecidos, pois sabiam que o mandatário estava se referindo a ela.

No programa, ele diz: "eu não sei que tipo de tratamento eu vou dar a essa pessoa que falou a respeito do Samu e inclusive citou meu nome. É muito feio, não sei que termo vou usar para te qualificar".

E continua: "se você tivesse um pouco de hombridade, um pouco de caráter, você seguiria sua tendência natural. Então não vou entrar nesse detalhe, porque eu não quero sofrer a abertura de um processo porque você não tem utilidade nenhum para Rio Verde, nunca vi fazer alguma coisa de bem. Agora, eu posso ter meus defeitos, e o Samu tá aí, queimou a língua viu língua preta?".

Thayla registrou que se sentiu muito humilhada e vai à Justiça. "Quero que a população saiba tem um prefeito homofóbico, preconceituoso, prepotente, arrogante".

A cabeleireira afirma ainda que não há por que ter dúvida sobre como se referir a ela, basta tratá-la como cidadã. "Pago imposto, sou ser humano, sou nascida aqui. Sou transsexual desde os 16 anos, tenho 40. Todo mundo me conhece como Thayla".

Já o prefeito disse ao Campo Grande News que a denúncia é infundada e que a cabeleireira "quer manchete". "Não sou candidato e não tenho preocupação nenhuma, vou responder quando for chamado. Vou vencer e vou agir para que ela se responsabilize pelos seus atos", afirmou sobre a possibilidade de ter de responder judicialmente pelo comentário.

Kruger acrescenta que não citou nomes no programa de rádio e somente respondeu a críticas. "Já processou todo mundo, fez uma opção sexual e não tem coragem de encarar. Ela quer manchete".

O chefe do Executivo de Rio Verde revelou que a ambulância do Samu já está na cidade e que na terça-feira que vem, dia 11, vai inaugurar o serviço. Uniformes para a equipe foram entregues na quarta-feira (5).

Fonte: Campo Grande News

Portal de cara nova