Segunda, 17 de Junho de 2019
(67) 9 8139-0667

publicidade
 
04/02/2019 - 10:34
Será que você está só cansado ou tem fadiga adrenal?
O que é fadiga adrenal?
Antonio Neres
Plantão do MS e MS Web Rádio

Quantas vezes na sua semana ou mesmo no seu dia você passou por situações de estresse combinadas a uma sensação de cansaço extremo? Mesmo que o cansaço possa estar relacionado a esse estresse mental, podemos também estar sofrendo com o desequilíbrio adrenal que leva ao aumento significante dos sintomas. Embora alguns profissionais utilizem esse termo, outros ainda acreditam que o "cansaço adrenal" ou "fadiga adrenal" é um mito, porém esse texto é para esclarecer algumas pontuações e chegar a um senso comum.

As glândulas adrenais são responsáveis pela regulação de vários hormônios que afetam seu metabolismo, pressão sanguínea e resposta do sistema imunológico, mas influenciam diretamente no estresse, principalmente pela sua ação de secretar e regular adrenalina, noradrenalina e o cortisol.

A adrenalina é responsável por diversos sentimentos e ações, como a resposta de "luta ou fuga" em situações de estresse intenso. O hormônio cortisol é conhecido pela sua função catabólica, exercendo um papel importante no equilíbrio eletrolítico e no metabolismo de carboidratos, proteínas e lipídeos, além de possuir um potente efeito anti-inflamatório (em níveis normais). Causa ainda o aumento da frequência cardíaca, levando a um sentimento constante de incômodo. Durante o estresse constante, o cortisol também é secretado continuamente. Todas essas funções estão associadas ao eixo hipotálamo-hipófise-adrenal (HHA).Porém, algumas vezes, ocorrem anormalidades na secreção adrenocortical, podendo resultar em alguns problemas.

O que é fadiga adrenal? Esse termo foi postulado por James Wilson em 1998, que reforça que é uma condição do estresse do mundo atual; porém ainda é relatada em cima de hipóteses e muitos médicos a tratam como um mito. A fadiga adrenal –ou estresse adrenal ou exaustão adrenal ou hipoadrenalismo — leva a um incômodo de cansaço extremo. Você não sabe se está estressado, nervoso, irritado e fica a todo momento se queixando de sono. Algumas pesquisas mostram que quando o seu corpo é exposto ao estresse por um longo período de tempo, as glândulas adrenais continuam bombeando mais e mais hormônios para tentar se ajustar ao problema, já que não produzem hormônios suficientes para lidar como:

uma série de sintomas, como: Cansaço; Ganho de peso ou incapacidade de emagrecer; Sensação de estar atordoado; Sensação de exaustão extrema ou sobrecarga; Desejos por alimentos calóricos; Estresse e sensação de nervoso constante. Alguns autores de livros de fisiologia, como Guyton & Hall, colocam no hipoadrenalismo somente a insuficiência adrenal —Doença de Addison –, já que não reconhecem a "fadiga adrenal" como uma patologia esclarecida. Porém, essas doenças são diferentes da fadiga adrenal. Para essa doença, a glândula adrenal é danificada, levando à insuficiência adrenal e não produzindo de forma efetiva os hormônios. 

A fadiga adrenal é real? Revisões sistemáticas e até sites de endocrinologia batem o martelo que ela não existe e não é comprovada cientificamente como uma patologia. Um estudo sobre esse tema realizado por endocrinologistas da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo), chamado "Adrenal fatigue does not exist: a systematic review", avaliou uma correlação entre o eixo HPA e uma suposta "fadiga adrenal" e outras condições associadas à fadiga, exaustão ou esgotamento. Porém, reforça que os estudos que hoje contam com essa nomenclatura precisam  de uma investigação mais aprofundada e detalhada, pois não encontraram provas substanciais em artigos que a comprovem como uma doença real.

Se ela é um mito, por que estou escrevendo sobre ela? Quando o autor Wilson elucidou o termo "fadiga adrenal", ele se referia a uma série de sinais e sintomas que eram queixas de muitos pacientes. Com base nisso, elaborou um questionário para diagnóstico primário com algumas questões em que classifica as respostas em uma escada de 0 — nunca — a 3 — intensa ou frequente. Minha capacidade de lidar com o estresse ou com situações de pressão diminuiu? Meu pensamento é confuso ou acelerado quando me deparo com situações de pressão? Tenho sentimento de fraqueza muscular? Muitas vezes fico com fome, confuso, instável ou um pouco paralisada em situações de estresse? 

Mesmo assim tenho sintomas de fadiga adrenal; o que posso fazer? Esse é o ponto central de todo o questionamento em torno do nome "fadiga adrenal". "Então, ok. Ela não é real. Mas eu sinto todos os sintomas. Os meus sintomas são reais!" Sentir-se cansado o tempo todo, de mau humor, irritado, ansioso, estressado e deprimido são sentimentos reais, que incomodam e não é normal estar o tempo todo assim. Com estes sintomas persistentes, é melhor informar o seu médico para tentar obter um diagnóstico mais específico.

Mas se não é fadiga adrenal, o que é isso que estou sentindo? Embora os estudos mostrem que o estresse não é capaz de desgastar a glândula adrenal, isso não significa que o estresse não tenha consequências em seu corpo. Um estudo da Universidade de Miami descobriu que o estresse crônico eleva diretamente a pressão arterial e reduz a resposta imunológica. Quando os hormônios do estresse permanecem altos, os pacientes se recuperam mais lentamente de doenças e também podem adoecer com mais frequência. Os sintomas geralmente associados à doença –fadiga, mal-estar, falta de apetite — não são causados ​​pela fadiga adrenal, e sim pela tentativa do corpo de melhorar. 

Como se sentir melhor Seja verdade, seja mito a "fadiga adrenal", minha postura profissional é de sempre dar instruções para melhorar sinais e sintomas que os pacientes costumam relatar, que também são úteis para quadros de estresse crônico e até transtornos leves de humor. Dormir A coisa mais importante a fazer pelos seus sintomas é reduzir o estresse, e uma boa maneira de fazer isso é dormir mais. Ao simplesmente dormir o suficiente, você pode aliviar imediatamente alguns dos sintomas associados à "fadiga adrenal". Dormir de 8 a 10 horas é o suficiente, porém tem pessoas que ficam muito bem com 6 horas de sono. Esse ponto, na verdade, está relacionado à qualidade do seu sono. 

Eu ainda acho que pode ser um problema adrenal Se você está preocupado que você pode ter doença de Addison ou insuficiência adrenal, é melhor procurar um médico que solicite exames para ACTH. O teste salivar também é uma ótima opção para aferir cortisol e DHEAS — hormônios do estresse. A fadiga adrenal pode ou não ser real, mas isso não significa que seus sintomas sejam "inventados" ou "tudo é um problema da sua cabeça". Provavelmente, o estresse geral é a causa, e você tem que dar a devida atenção a isso. Se os seus sintomas forem graves, consulte um médico e um profissional de saúde mental. *Colaboração do neurocirurgião e termografista Dr. Leonardo Lo Duca.

Por Paula Machado do Uol

 

 

 

Deixe seu Comentário
publicidade
Facebook

facebook googleplus pinterest twitter