Liderados por Hamilton, pilotos se ajoelham em protesto contra o racismo antes do GP da Áustria

Por Redação em 05/07/2020 às 11:00:17

No momento da execução do hino antes do início do GP da Áustria de Fórmula 1, neste domingo (5), os pilotos se ajoelharam, liderados por Lewis Hamilton, em um protesto contra o racismo e a violência policial. O gesto tem sido repetido em diferentes competições esportivas desde o assassinato de George Floyd, homem negro sufocado por um policial branco nos Estados Unidos.

Todos os pilotos vestiram camisas com a frase "Fim ao racismo". Único negro da categoria, Hamilton usou uma com a frase "Black Lives Matter" ("Vidas Negras Importam"), símbolo do movimento. O momento foi compartilhado nas redes sociais da F1.

Conhecido militante contra o racismo, Hamilton participou, no último mês, de uma manifestação em Londres que reuniu milhares de pessoas. O piloto da Mercedes usou óculos, gorro e máscara para se juntar aos demais e revelou a presença na passeata em uma postagem no Twitter. O ato ocorreu nos arredores do Hyde Park, um dos principais pontos turísticos de Londres, e, segundo o multicampeão da Fórmula 1, foi um evento pacífico e marcado pela presença de pessoas de variadas origens.

Seis pilotos permaneceram em pé

Neste domingo, apenas 6 dos 20 pilotos não se ajoelharam e permaneceram em pé durante o hino: Max Verstappen, Antonio Giovinazzi, Carlos Sainz, Charles Leclerc, Kimi Raikkonen e Daniil Kvyat. Antes da corrida, afirmaram que "estão comprometidos com a causa", mas "cada um se expressa de uma maneira".

"Estou muito comprometido com a igualdade e a luta contra o racismo, mas acredito que todos têm o direito de se expressar de cada vez e da maneira que lhes convém", disse Verstappen. "Acredito que o que importa são comportamentos em nossa vida cotidiana, em vez de gestos formais que poderiam ser vistos como controversos em alguns países", afirmou Leclerc.

Portal de cara nova
Anuncie aqui