Duas faces da Covid-19: Como é a rotina de um pastor e coveiro durante a pandemia

Por Redação em 29/06/2020 às 06:44:27

O amazonense Iza√≠as Nascimento é um homem com vida dupla. A partir das sete da manh√£, ele veste macac√£o, m√°scara e protetor facial para trabalhar como coveiro em um cemitério em Manaus, capital do Estado, e v√™ de perto a dor das fam√≠lias que perderam seus familiares para a Covid-19. "Eu cheguei a fazer sepultamentos de oito a nove pessoas durante o dia", afirma.

À noite, Iza√≠as sobe no p√ļlpito da Igreja Pentecostal Alcan√ßando Vidas e, como pastor evangélico h√° quatro anos, leva um pouco de conforto para o cora√ß√£o das pessoas. "Eu falei com Deus, Deus me incomodou muito e disse: vai, obedece. Porque onde eu te colocar voc√™ vai cuidar dos meus filhos, que s√£o precisando de um consolo, de uma palavra amiga."

O avan√ßo implac√°vel do v√≠rus fez com que a capital, Manaus, chegasse a beira de um colapso no sistema de sa√ļde em maio.Com mais de 70 mil casos e quase tr√™s mil mortes, o estado do Amazonas foi uma das regi√Ķes mais afetadas pela pandemia no Brasil.Iza√≠as relata a dor, o medo e o sofrimento dos parentes ao perder um ente querido para o v√≠rus.

"Eu tenho que dar uma palavra de conforto para a fam√≠lia, naquele momento de desespero. Quando a gente vai tirar o pai, a m√£e, os filhos, filhas ficam gritando: n√£o leva a minha m√£e, n√£o leva meu pai. Nós somos agredidos, mas agente tem que ficar calado porque eu sei que dói."

Pela primeira vez em quase tr√™s meses, Manaus n√£o registrou nenhuma morte por Covid-19 nas √ļltimas 24 horas.Com a reabertura gradual do comércio, o governo amazonense ainda n√£o conta vitória contra o coronav√≠rus, mas diz que est√° no caminho certo.

*Com informa√ß√Ķes da Jovem Pan

Portal de cara nova
Anuncie aqui